quinta-feira, 31 de maio de 2012

Energia Geotérmica


Energia geotérmica- é um tipo de energia que funciona graças à capacidade natural da Terra e/ou da sua água subterrânea em reter calor, e consiste em transferir esse calor, num sistema composto de canos subterrâneos e de uma "bomba de sucção de calor", para aquecer ou arrefecer um edifício.



Fig.1 Central Geotérmica

Vantagens
-Permitem poupar energia (75% de electricidade numa casa) uma vez que substituem ar condicionado e aquecedores eléctricos.
-São muito flexíveis, uma vez que podem ser facilmente subdivididos ou expandidos para um melhor enquadramento, (e aproveitamento de energia) num edifício, e isto, ficando relativamente barato.
-Libertam relativamente menos gases poluentes para a atmosfera que outras fontes de energia não renováveis, como indicam os seguintes dados:


Fig.2 Esquema representativo dos gases poluentes

 Desvantagens
-Se não for usado em pequenas zonas onde o calor do interior da Terra vem á superfície através de géiseres e vulcões, então a perfuração dos solos para a introdução de canos é dispendiosa.
-Os anti-gelificantes usados nas zonas mais frias são poluentes: apesar de terem uma baixa toxicidade, alguns produzem CFCs e HCFCs.
-Este sistema tem um custo inicial elevado, e a barata manutenção da bomba de sucção de calor (que por estar situada no interior da Terra ou dentro de um edifício não está exposta ao mau tempo e a vandalismo), é contrabalançada pelo elevado custo de manutenção dos canos (onde a água causa corrosão e depósitos minerais).


EM PORTUGAL..
A energia geotérmica é utilizada principalmente no Arquipélago dos Açores.

Fig.3 Central geotérmica dos Açores


Reflexão: Podemos concluir que a utilização da energia geotérmica é muito menos poluente de qualquer outra energia não renovável.Este tipo de energia já é muito utilizado no estrangeiro, sendo que uma relativa melhoria a nível do ar que se respira.


Fonte:







quarta-feira, 30 de maio de 2012

Urânio

O Urânio é um recurso não renovável e apenas uma pequena parte é considerada combustível.

Vantagens da utilização do Urânio
-Energia é muito barata;
-Capacidade de produção muito grande;

Desvantagens da utilização do Urânio
-Possibilidade de acidentes nas entradas;
-O enriquecimento do urânio é caro;
-Problemática de acomodação dos resíduos;
-Riscos associados ao seu transporte;

Fig.1 Urânio



Reflexão: Podemos então concluir que o urânio tem algumas vantagens, mas o pelo contrario tem muitas desvantagens e uma delas é a poluição.

Fonte:
http://www.infopedia.pt/$uranio

Carvão

Os carvões são rochas constituídas por detritos vegetais mais ou menos alterados e por uma matériaintersticial, homogénea, tanto mais abundante quanto mais elevado é o grau de alteração dos detritos vegetais. 
São rochas negras, pouco densas e pouco duras, que ardem mais ou menos facilmente, são insolúveis na água e nãofazem efervescência com os ácidos.
Conforme a riqueza em carbono e a sua estrutura, os carvões podem apresentar diversos aspectos e são denominados, por ordem crescente da riqueza em carbono, turfa, lenhite, hulha e antracite.



Vantagens da utilização do carvão
- Recurso mais barato:
- Recurso muito abundante;
- Permitiu o advento da civilização actual;


Desvantagens da utilização do carvão
-Poluição -Ar;
               - Solos;
               - Água;

- Explorações a céu aberto;
- Utilização de grandes quantidades de gases;


Fig.1 Carvão

Reflexão: Podemos comparar o carvão com o petróleo, porque trazem vantagens para o planeta, mas ao mesmo trazem grande desvantagens devido á grande poluição que este recurso traz em ser explorado.


Fonte:

Petróleo

O petróleo é um produto líquido de cor escura, composto por hidrocarbonetos. Admite-se que a sua origem seja marinha, por acumulação de restos de seres planctónicos e outros organismos característicos deste meio.


Vantagens da utilização do petróleo:
-Desenvolvimento económico e desenvolvimento social;
- Materiais industriais- Plástico;
                                - Lubrificantes;
                                - Solventes;


Desvantagens da utilização do petróleo:
-Poluição- Ar;
             - Solos;
             - Água;

Fig.1 Petróleo





Reflexão: Podemos então concluir que o petróleo traz vantagens, mas traz muito desvantagens. A excessiva utilização do petróleo faz com que o planeta fique cada vez mais poluído.

Fonte:

Recursos Energéticos

Recursos Energéticos Renováveis


Os recursos são considerados renováveis quando possibilitam a sua utilização sistemática sem risco de se esgotarem. A sua reposição ou regeneração é feita de forma contínua pela Natureza. Em termos dereservas naturais, trata-se de um bem ilimitado.
São exemplos de fontes energéticas renováveis: o sol, a força das ondas, marés e rios, o vento, a geotermia resultante de manifestações de vulcanismo e a biomassa.

Fig.1 Recursos Energéticos Renováveis

Recursos Energéticos Não-Renováveis

São recursos naturais que, uma vez consumidos, não podem ser substituídos, pelo menos num espaço de tempo razoável. São produtos resultantes de processos extremamente lentos da litosfera, e não são auto-renováveis no esquema humano das coisas.
O aumento da população, a aquisição de novos hábitos de consumo e os progressos tecnológicos levaram a uma grande exploração dos recursos da Terra.

Fig.2 Recursos Energéticos Não- Renováveis


Síntese de algumas energias
Recurso
Energia
Vantagens
Desvantagens
Classificação
Carvão
Termoeléctrica
Barato
Poluente
Esgota-se
Não renovável
Petróleo
Termoeléctrica
Elevado Rendimento
Poluente
Esgota-se
Não renovável
Gás Natural
Térmica
Barato
Pouco poluente
Esgota-se
Não renovável
Urânio
Energia nuclear
Barato
Perigo da radiação e dos resíduos
Não renovável
Água
Hidroeléctrica
Não poluente
Não se esgota
Impacte ambiental
Renovável
Vento
Eólica
Não poluente
Não se esgota
Elevados custos com a instalação e manutenção
Renovável
Sol
Solar
Não poluente
Não se esgota
Elevados custos com a instalação e manutenção
Renovável
Marés
Marés
Não poluente
Não se esgota
Elevados custos com a instalação e manutenção
Renovável
Biomassa
Biogás
Não poluente
Não se esgota
Elevados custos com a instalação e manutenção
Renovável
Calor da Terra
Geotérmica
Não poluente
Não se esgota
Elevados custos com a instalação e manutenção
Renovável


Reflexão: Nos últimos tempos o consumo dos recursos energéticos não renováveis tem vindo a aumentar consideravelmente.Nas últimas três décadas a procura destes recursos quase duplicou prevendo-se que esse aumento continue nos próximos anos, sobretudo nos países mais desenvolvidos, pois é nestes onde se consome mais energia. Esse tipo de recursos sendo por um lado poluentes, por outro lado, têm a desvantagem de não se reporem continuamente, sendo assim o Homem terá de encontrar outros recursos alternativos menos poluentes e duráveis designados por recursos energéticos renováveis

Fontes:











quinta-feira, 17 de maio de 2012

Noticia: Glaciares de cordilheira asiática estão a ganhar massa

Alguns glaciares que se encontram na cordilheira Karakoram, a oeste dos Himalaias (Ásia), estão a ganhar massa, em vez de perder, ao contrário da tendência global. Os cientistas ainda não conseguiram explicar por que razão isto está a acontecer. Pouco estudados, estes glaciares são muito importantes, pois são uma fonte de água potável para milhões de pessoas.
Os cientistas do Centro Nacional de Investigação Científica francês e da Universidade de Grenoble compararam dois modelos de elevações sobre a superfície da terra obtidos a partir de observações por satélites, um de 1999 e o outro de 2008. As conclusões estão publicadas na «Nature Geoscience».
O método que a equipa utilizou para medir e comparar o volume de gelo sobre a cordilheira é complexo. Citada pela BBC, Julie Gardelle, coordenadora do estudo, explica que este método “não é usado com mais frequência porque os modelos de elevações são difíceis de conseguir. São necessárias condições como céu limpo e camadas reduzidas de neve”.


Fonte:

Noticia: Turistas e cientistas estão a levar para a Antárctida milhares de plantas invasoras

Os 40.000 turistas e cientistas que estiveram na Antárctida em 2007 levaram consigo, e sem o saberem, sementes de plantas exóticas invasoras, ameaçando um dos ecossistemas mais inexplorados do planeta, revela um estudo científico.
“Quisemos avaliar os riscos para a Antárctida como um todo, descobrindo que espécies estão a ser levadas para lá, de onde são originárias e quais os locais onde mais provavelmente se vão fixar”, disse o coordenador do estudo internacional, Steven Chown, da Universidade Stellenbosch, na África do Sul.
O estudo, publicado na segunda-feira na revista Proceedings of the National Academy of Science (PNAS), revela que foram inquiridas 5600 pessoas, sobre os seus locais de origem e trajectos de viagem, de um total de 33.000 turistas e 7000 cientistas que estiveram na Antárctida em 2007.
Depois, os investigadores passaram em revista a bagagem e equipamento de 853 voluntários. No final do trabalho concluíram que, cada pessoa levava, em média, dez sementes na roupa, bagagem, bastões, calçado e equipamento. As equipas de cientistas tendem a levar mais espécies exóticas, mas a média baixa porque o número de turistas é muito mais elevado.
Os investigadores concluíram que metade das 2600 sementes recolhidas veio de outras regiões frias do planeta. “Isto significa que muitas destas plantas conseguem sobreviver às baixas temperaturas da Antárctida, o que é preocupante”, disse Steven Chown, em comunicado. De acordo com a Universidade de Stellenbosch, muitas das sementes pertencem a famílias de plantas que já são invasoras no Árctico, por exemplo.
Tendo em conta que “algumas zonas da Antárctida vão continuar a aquecer nos próximos 100 anos”, os investigadores acreditam que “é elevada a probabilidade de muitas espécies exóticas se estabelecerem e prosperarem lá”. As zonas mais ameaçadas são a Península da Antárctida, o Mar de Ross e as regiões costeiras da zona Este. “Com as alterações climáticas, estas zonas serão muito sensíveis porque será mais fácil para as plantas sobreviverem e fixarem-se nos locais onde o gelo recuou”, disse Chown.
Actualmente, várias espécies invasoras já se fixaram na Antárctida, como a gramínea Poa annua, em Portugal conhecida por relva-dos-caminhos.
“O problema das espécies invasoras é mundial mas particularmente delicado nas ilhas onde os ecossistemas são mais frágeis”, disse à agência AFP Marc Lebouvier, da Universidade de Rennes, França, e um dos autores do estudo. “O risco em ilhas como a Antárctida é de um desequilíbrio do ecossistema que se pode traduzir na substituição progressiva destas espécies de origem por espécies importadas que podem eliminar as plantas locais”, acrescentou.
As implicações deste estudo para a conservação dos ecossistemas da Antárctida serão debatidas no próximo encontro do Tratado da Antárctida, marcado para Junho na Austrália. O estudo fez parte do projecto do Ano Polar Internacional (2007-2008) “Aliens in Antárctica” e foi apoiado pelo Comité Científico para a Investigação na Antárctida


Fonte: